sábado, 3 de dezembro de 2011

9 caras fodões da História que provavelmente você não conhecia

Esses tem a carterinha de discípulos do Chuck Norris. Não é para qualquer um entrar nessa lista: TEM QUE SER FODÃO! Essas figuraças historicas aprontaram façanhas que faz qualquer um duvidar. Confira:


9. Chandragupta Maurya / 340 aC – 298 aC

Chandragupta Maurya, muitas vezes simplesmente Chandragupta (nasceu em 340 AC e reinou de 320[1] a 298 AC[2]), foi o fundador do Império Maurya que, pela primeira vez, abrangeu a maior parte do subcontinente da Índia e por isto é considerado como primeiro unificador e genuíno primeiro imperador da Índia. Nos escritos gregos e latinos antigos, Chandragupta é conhecido como SandrokuptosSandrokottos ou Androcottus. Chandragupta Maurya, nasceu em Bihar, leste da Índia, era um plebeu órfão que mudou a face da Índia e alterou para sempre a sua história, através da sua incrível habilidade de construir fortes exércitos usando pequenos vilarejos, posteriormente os unificando e formando um gigantesco exercito capaz de dominar o grande Império Nanda. Comandava nove mil elefantes de guerra e trinta e seis mil soldados. Treinou uma das mais fodásticas unidades de guerra  para sua guarda pessoal: 500 belas guerreiras gregas e indianas. Antes de conseguir conquistar o Império Nanda, Chandragupta coordenou vários ataques contra ele. Em um deles, o mais ousado e o que dá brilho a sua fama de durão,  Maurya simplesmente pegou uma espada de bronze e, sozinho, invadiu o palácio do rei Nanda.Ele foi capturado e preso (não antes de fazer um grande estrago) e condenado a morte. Mas não seria uma prisão de quinta categoria que iria segurar Maurya – ele descobriu uma maneira de escapar antes que o triste destino se cumprisse. Voltou para seu povo, reuniu novamente o exercito, se aliou aos gregos e acabou com Império Nanda, tomando o trono para si, iniciando o Império Maurya.

8. O Surena /84-52 aC

O Surena nasceu na família de guerreiros Surena que, durante gerações, havia protegido os reis da Pártia (encontrado nos dias atuais Irã). Em todos os contos encontrados sobre Surena , ele sempre era citado como o mais bonitão da cidade, o mais forte,o mais viril e principalmente, o mais mortal. Quando o Rei Hydrodes foi deposto e expulso de Pártia, o Surena liderou a missão de reconquistar o reino. Ele também tinha um harém de concubinas enorme, que eram divididos em duzentos comboios, que viajava com ele para qualquer lugar que o sujeito fosse – inclusive nas campanhas militares. Dá para imaginar o Motherfcuker from Hell chegando nas cidades com uma caravana dessas? Sabe-se lá quantas mulheres tinham mas era equivalente a população de uma cidade pequena em mulheres e o tal era o único que tocava nas mesmas. Quando Crasso estupidamente decidiu assumir o Império Pártia, na batalha de Carrhae, ele e seu exercito foram surpreendidos pelo truque preparado por Surena e seus homens. Os romanos ficaram atônitos ao terem que lutar em areais profundas, planuras sem vegetação e sem água. Os partos faziam grande algazarra, tocando tambores ocos cobertos de pele com martelos de bronze, com os quais produziam sons intensos e assustadores, observando que a audição era, de todos os sentidos, aquele que mais intensamente perturba a alma, provoca as emoções mais imediatas e põe o espírito fora de si.
Acostumados a lutar contra gauleses quase nus, as armas romanas não conseguiam perfurar as couraças partas, que protegiam homens e cavalos. Ao contrário, as flechas partas partiam todas as armaduras romanas (lorica squamata – couraça escamada que pesava doze quilos, posteriormente trocada pela lorica segmentata – couraça de lâminas que pesava só nove quilos). Quando ofereceu a chance de se render, Crasso disse aos seus homens a fugir e, conseqüentemente, mandou todos eles para a morte. Surena e seus homens perseguiu e matou todos eles. Crasso foi decapitado pessoalmente por Surena , que colocou sua cabeça em uma lança para expor para o seu povo. Agora, o Detalhe: em alguns contos dão à entender que Surena era um traveco! Bem, não completamente, mas isso é o que Plutarco disse dele: “Foi o homem mais alto  mas a delicadeza de sua aparência e efeminação do seu vestido não comprometeu sua masculinidade … seu rosto estava pintado, e seu cabelo se separaram depois da moda dos medos “. O maluco era o HellMaster e se vestia de mulher e aí daquele que falasse que ele não estava bonito ou fizesse piadinha.

continue lendo a Matéria clicando em "Mais informações" logo abaixo


7. Charles Martel -688 – 22 de Outubro 741

Charles Martel – também conhecido como o Martelo – era tão durão que ele não só impediu a invasão islâmica da Europa Ocidental, como também é considerado um dos fundadores da Idade Média e todas as coisas brutescas que vieram com ela (o feudalismo, os cavaleiros e cavalaria) e o responsável por lançar a base para o império Carolíngio (ele era o avô de Carlos Magno).Sua posição era liderar o exército contra os muçulmanos invasores, porque ele era o líder  do palácio, uma espécie de general. Naquele tempo os reis eram praticamente inúteis (e parece que de lá pra cá nada mudou) deixando todo o trabalho duro para Charles.Durante toda a sua vida, forjada nos campos sangrentos de Batalha, O Martelo perdeu apenas uma (a Batalha de Colônia). Conseguiu um feito que parecia impossível: venceu a Batalha de Tours (10 de outubro, 732) em que duas cidades francesas lutaram contra o gigantesco exército do Califa Omíadas .A derrota do exército muçulmano foi muito significativa e, se a batalha tivesse ido para o outro lado, teríamos provavelmente todos estar falando árabe agora e seguindo os costumes muçulmanos.O exército francês lutou tão bravamente sobe a liderança de Charles e por incrível que pareça enfrentou poucas baixas, fato tão absurdo visto o tamanho do exercito inimigo que levou muitos a declarar que Deus tinha dado a vitória aos franceses.Para completar sua fama de durão,  O Martelo se recusou a aceitar um título honorário do Papa para salvar a Europa, dizendo que só tinha feito o seu trabalho.

6. Ulf o briguento/ século 11

Ulf (o que significa lobo), o briguento era um brutal guerreiro irlandês e irmão do Alto Rei Brian Boru (foto acima). Ulf, o qual nome verdadeiro é incerto, era um jovem comum até que seu reino foi invadido pelos Vikings e no ataque sua mãe foi morta. Desse dia em diante, ele passou a desprezar os vikings, com um fúria descomunal. Adotou um machado gigante e começou a matar os Vikings ao estilo Viking! Enquanto Brian King fez o seu nome, unindo e formando a Irlanda, Ulf fez o seu nome por arrancar a cabeça dos inimigos com seu machado de batalha gigante. Dá para imaginar o terror dos inimigos quando avistavam esse individuo com sangue nos olhos, correndo e devastando tudo que era vivo no campo de batalha empunhando um machado que era quase do seu tamanho.
Ulf deveria ser parecido com o Espada Barragan, do Bleach com seu  Machado Gigante
A união da Irlanda pois um fim ao poder da escandinávia sobre a nação de pequenos estados e reinos, deixando algumas pessoas irritadas com a nova situação e resultando em uma rebelião – com a ajuda de milhares de vikings.Começará a famosa Batalha de Clontarf, em 1014. Nela Ulf realmente mostrou que era “o fodão”. Depois de quase detonar um batalhão de rebeldes vikings com toda a sua delicadeza (leia-se rasgando os coitados no meio com o seu pequeno Machado), Ulf partiu para cima de Bróðir – um dos piores vikings da época. Eis o relato de Njáls sobre  a saga de  Ulf e como ele terminou com a vida de Bróðir – em vingança pelo assassinato de seu irmão, o Rei Brian: “Ulf o briguento, abriu a barriga de Bróðir , carregando até o tronco de uma árvore onde foi “pregado” e  enfiando a mão na ferida, tirou as entranhas dele para fora, que morreu com a imagem de Ulf com suas entranhas na mão. ”

5. Harald Hardrada/ 1015 – 25 de setembro de 1066

Harald era o caçula de três meio-irmãos do rei Olaf II da Noruega , nascido em Asta Gudbrandsdatter. Depois que o rei Cnut matou seu irmão Saint Olaf (enquanto Harald foi tinha meros 15 anos), ele partiu para Constantinopla. Lá aproveitou a oportunidade para se juntar ao exército mais temido de mercenários, o Vanguarda Bizantino. Começou a trabalhar (ou melhor, destruir) para diversos reis da Europa, devastando vários exércitos, em troca de favores e dinheiro. Harald batalhou em todos os lugares que eram conhecidos na época  – desde a Europa até Jerusalém Harald empunhou seu escudo e seu machado. Se casou com a Princesa Isabel da Rússia. Eventualmente, tornou-se o Rei Harald da Noruega (depois que os jovens ilegítimo do rei Magnus morreram misteriosamente). Não estando satisfeito em governar apenas um país, ele passou anos tentando conquistar a Dinamarca (para grande desgraça de todos – tanto na Dinamarca quanto na Noruega). Ele finalmente decidiu colocar suas energias em outro lugar, que o eternizou na História – ele decidiu conquistar a Inglaterra. Infelizmente (ou felizmente, depende do ponto de vista), suas tentativas de levar a Inglaterra falharam e seu exército foi esmagado pelo rei Harold Godwinson. Harald foi o último grande rei Viking da Noruega, e sua invasão da Inglaterra e a morte na Batalha de Stamford Bridge em 1066 representam o marco do fim da era viking e início da Alta Idade Média.

4. Tomoe Gozen /1157 – 1247

Duas palavras resumem esta mulher incrível: concubina e guerreira.Tomoe Gozen foi uma coisa extremamente rara: uma guerreira samurai do sexo feminino. Aqui está o que um relato histórico da sua trajetória que  diz: “Tomoe era especialmente bonita, de pele branca, cabelos longos, e apresentava  um  ar encantador. Ela também foi uma forte arqueira assim e como uma notável espadachim. Valia mais que mil guerreiros, pronta para enfrentar um demônio ou um deus, montado ou a pé. Lidava com cavalos com soberba habilidade. Sempre que uma batalha era iminente, Yoshinaka mandava para frente de batalha como seu primeiro comandante, equipada com uma armadura forte, uma espada de grandes dimensões e um poderoso arco. Gozen realizou obras mais valentes do que qualquer outro guerreiro “. Resumindo, como guerreiro era mais macho que muito macho. Esta mulher guerreira também era uma concubina de Minamoto no Yoshinaka, um japonês reverenciado. Quando ele foi derrotado no campo de batalha disse a Tomoe para deixá-lo já que ele tinha vergonha de morrer antes que uma mulher na guerra. Depois desse dia, ela largou a vida de samurai e se retirou para uma vida tranqüila como uma religiosa.

3. Miyamoto Musashi/1584 – 1645

Miyamoto Musashi foi um kensei – um santo da espada. No Japão, esta palavra era usada para se referir a alguém tão durão com sua espada que se acreditava possuir habilidades sobrenaturais. Miyamoto Musashi era  o melhor exemplo disso, nunca. Em sua vida ele lutou mais de 60 duelos, e venceu todos eles (mesmo porque perder a maior parte das vezes significaria a morte). Ele foi treinado na escola Ryu Yoshioka – uma das mais tradicionais entre as tradicionais . Seu primeiro duelo foi com treze anos de idade. Após isso, ele vagou pelo país lutando contra tantas pessoas quanto possível, independentemente da arma que essas empunhavam. Aos trinta anos de idade ele teve seu duelo mais famoso, contra Sasaki Kojiro (O Demônio das províncias ocidentais). Sasaki Kojiro, lutando com uma espada de duas mãos gigante (uma alabada provavelmente), foi derrotado rapidamente por Musashi, que lutou com uma espada pequena de madeira, esculpida por ele no barco a caminho da luta. Cansado de lutar(imagino que tenha ficado entendiado porque não conseguir inimigo a altura), ele se retirou para uma caverna para viver como um eremita e escrever livros. Ele morreu de joelhos, com uma mão sobre sua espada e os outros em sua bengala.

2. Agustina de Aragão/4 de março, 1786 – 29 mai 1857

Agustina de Aragón foi uma heroína espanhola que defendeu a Espanha durante a Guerra da Independência espanhola, primeiro como civil e mais tarde como um oficial profissional no Exército espanhol. Suas ações a transformaram na “Joan of Arc Espanhola”. Quando a guerra começou em 1808, em sua pequena cidade espanhola, ela tomou um cesto de maçãs para alimentar os artilheiros. Quando chegou no campo de batalha, viu o exercito espanhol ter um grande número de perdas na luta contra o exército francês, fazendo com que os soldados espanhóis sobreviventes fugissem. Em vez de fugir, Agustina correu para os canhões e passou a defender a cidade por conta própria. A visão dela fazendo isso deu aos espanhóis a coragem de voltar e ajudar. Depois de uma luta sangrenta, os franceses desistiram do assalto em Zaragosa e abandonaram o cerco de poucas semanas. Mais tarde foi capturada pelos franceses, sendo presa, fato que logo foi contornado visto a inteligência da jovem. Ela tratou de montar um plano de  fuga ousado, que executou com excelência. Longe da prisão, voltou para o seu povo e se tornou a líder dos rebeldes, ajudando a organizar os ataques que perseguiram os franceses. Em 21 de junho de 1813, atuou como comandante da bateria da linha de frente na batalha de Vitória, sob o comando do Major Cairncross. Esta batalha foi uma das decisivas, contribuindo para o fim da guerra, onde o exercito francês foi esmagado e expulso. Com o final da guerra, Agustina se casou com um médico e viveu o resto de sua vida em paz, vestindo orgulhosamente suas medalhas de batalha.

1. Bhanbhagta Gurung / Setembro 1921 – 01 março de 2008
Bhanbhagta Gurung, nascido no Nepal, é reconhecido por suas ações de um dia na II Guerra Mundial. Ele recebeu a Victoria Cross – a mais alta honraria disponíveis para os soldados britânicos. A melhor maneira de apreciar seu jeito fodástico de ser verdade  é ler o que os jornais de Londres disse das suas obras: “Em 05 de marco de 1945, em Snowdon-East, próximo Tamandu, Birmânia, Gurung e sua unidade foram se aproximando do inesperado. Seu pelotão, de um momento para o outro, ficou preso por um sniper inimigo, e estavam sofrendo baixas. Como este atirador infligia baixas na seção, o fuzileiro Bhanbhagta Gurung, sendo incapaz de atirar da posição que estava, deitado e rastejando, levantou-se totalmente, ficando exposto ao fogo pesado e calmamente matou o atirador inimigo com seu rifle, salvando assim o seu ponto de sofrer mais vítimas. [Certamente o sniper levou um susto por ver o que o maluco fez e nesse meio tempo foi morto]
“Então o pelotão começou a avançar novamente, mas logo ficou sob fogo pesado, mais uma vez. Sem esperar por ordens, Gurung saiu correndo para atacar o primeiro inimigo nos seus buracos de raposa. Jogando duas granadas, ele matou os dois ocupantes e, sem qualquer hesitação, correu para o inimigo do buraco de raposa mais próxima e matou os japoneses com sua baioneta. Em seguida, cancelou mais dois buracos de raposa com sua baioneta (adaga que fica fixada no rifle) e uma granada. Durante seus ataques com uma das mãos sobre estes quatro inimigo nos buracos de raposa, o fuzileiro Bhanbhagta Gurung foi submetido ao quase contínuo e à queima-roupa tiros de metralhadora de um bunker . Pela quinta vez, Gurung  avançou sozinho contra o fogo inimigo pesado para derrubar seus opositores.Ele correu e pulou no telhado do bunker de onde tocou as granadas pela fenda do bunker. Gurung esperou os soldados japoneses correrem para fora do bunker, matou todos eles , e depois avançou para dentro do bunker apertado, onde se responsabilizou em dar cabo dos demais japas que morrem sem sequer saber o que ocorria”.
Amigo, sujeito era desumano.

FONTE/ADAPTAÇÃO: LISTVERSE

3 comentários:

clarindo disse...

Pra mim fodões são os caras que ajudaram a humanidade. Estes listados são assassinos.

Maicon Atarasi disse...

Faltou Imhotep. O cara mais foda, que passou pela face da terra.

Anônimo disse...

queria ver mais sobre a Leoa da Britania - Jeanne de Clisson - e de Anne Dieu-le-Veut e Cheng I Sao!!!
talvez não tenham contribuído politicamente a nível global, mas fizeram um arraso local, ah isso fizeram...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...